A lunação começa oficialmente hoje, 21 de agosto 15h29 – em 28º Leão 52’, e além de repetir o signo da lunação anterior tem a particularidade de acontecer junto a um eclipse solar, evento em que a Lua se colocará entre o Sol e a Terra impedindo sua luz.

Há um mês atrás o Sol clareava a soleira de tudo aquilo que já não era. Hoje, já nos últimos passos dentro da casa da morte – sim, será uma lunação de casa VIII –  a Lua impede sua luz.

Alfard e Ras Alhague, estrelas ligadas a venenos, estã consteladas com os luminares e o regente do Ascendente – Saturno na casa XII.

cobra baralho cigano 4

Carta do baralho cigano – Serpente

ALfard é a estrela alfa da constelação de Hydra. O perigo persistente, como as sete cabeças da Hydra, que renascem mesmo depois de degoladas pela espada de Hércules.  O monstro mitológico deu origem à expressão bicho de sete cabeças.

Ras Alhague é a alfa de Ophiucus, a serpente. O mito de Asclépio é sobre o poder mental da cura, da morte inclusive. Asclépio aprendeu a ressuscitar os mortos através do sangue mágico da cabeça da Górgona que ganhou de Atena: o sangue do lado esquerdo da cabeça da Górgona tinha o poder de tirar a vida e o que escoria do lado direito o de ressuscitar os mortos.

A mão trêmula tateia buscando a porta, na escuridão os fantasmas da memória saltam aos olhos e o coração vacila ao rever o que costumava chamar de amor. Os sentimentos que pareciam superados voltam a arder. É deles o veneno que circula na cabeça, e aqui parecem mais dispostos ao limite que à cura.

As somas feitas sob os efeitos do medo, pesam o valor de cada coisa de uma forma bastante peculiar: o ganho está em não ir, não está, não saber, porque viver é muito perigoso, e o medo, porque calcula no escuro, acha que só morre aquele que vive. Seguir às cegas é o avesso de não, por isso olhar para atrás não é necessariamente retroceder, para sair desse compasso sem perder o tom é imprescindível revê-lo, nota a nota, até encontrar a arritmia e reaprender a batida da vida.