Signo de Touro

A significadora natural do corpo, no signo fixo do elemento terra, se volta aos prazeres da carne.  A Lua se exalta na manutenção do gozo sensorial (Touro), ou seja, nesse lugar ela consegue atuar satisfatoriamente em relação a motivação proposta por Touro.

Sua queda é na manutenção do desejo, o gozo emocional (Escorpião), onde não consegue sanar de forma satisfatória as necessidades simbolizadas por Escorpião, embora seja significadora universal das emoções.

As duas significações lunares – corpo e emoção/desejo – são semelhantes nas demandas ad infinitum e na impossibilidade de controle, mas a Lua obtém resultados antagônicos na satisfação permanente de suas fomes, encontra exaltação no primeiro e queda no segundo.

Qual o antagonismo implícito aqui?

 “Todo corpo tende a permanecer em repouso e um corpo em movimento tende a permanecer em movimento retilíneo e uniforme”, a fome material é palpável, ainda que você não a controle, que seja intermitente, (no mundo ideal) seu alimento está ao alcance das mãos e tem a capacidade de aplacá-la.  Ah sim, e o corpo se satisfaz com mais do mesmo, você gosta de macarrão (ponto).

O prazer encontra estabilidade no corpo, uma estabilidade superestimada – qualidade própria a exaltação – porque na medida em que é intermitente, é ilusória.

O desejo se alimenta de um “objeto” específico, mas liquido e impalpável, o que o coloca mais além do alcance das mão – o que sob a perspectiva da Lua em queda significa recomeçar a saga por satisfação sem ser apaziguado.

O desejo não cessa e sem permanência ele não goza. Uma insatisfação superestimada, ou uma satisfação subestimada, qualidade específica da queda.

☽❍☾ – Nicole Zeghbi
Quer saber mais sobre seu mapa? Agende sua consulta

 

Imagem: Templo de Dendera