Cazimi, Combustão e Sob os raios

A luz é um conceito fundamental na mecânica astrológica, e estabelece algumas condições para os planetas que são dignas de nota.

A proximidade ao Sol define se um planeta está cazimi, combusto ou sob os raios. Estar sob os raios significa estar sob o clarão do Sol, luz que antecede e anuncia sua presença. Um planeta está sob os raios quando dista menos que 17º do Sol, e em seu clarão perde parte de seu brilho, o que significa o enfraquecimento do planeta. Na combustão a proximidade chega a 8º, e o planeta passa a ser ofuscado pela luz solar, o que é considerado uma debilidade maior. Ainda mais enfraquecido, o planeta perde grade parte de sua capacidade de ação e expressão . No cazimi, o planeta, a menos de 17′ , tão perto que se diz que ele esta “no coração do Sol”. Um planeta em cazimi terá suas potencialidades realizadas pelo Sol, sendo portanto importante considerar as condições desse planeta, suas dignidades ou debilidades, na interpretação.

SOL

Capricórnio

Capricórnio, é o signo cardinal do elemento terra, frio e seco, representado no zodíaco pela Cabra Peixe*.
Do latim “capra” – caprichosa, a cabra é um animal astuto, libidinoso, independente, difícil de refrear, irritável e temperamental, mas também divertido. Não à toa a cabra é associada a figura do Lascivo Pã, que impele as paixões indomadas, agita a insaciabilidade e o pânico no deserto da mente.
Outra qualidade digna de atenção, é sua capacidade de saltar como se voasse, as cabras selvagens escalam montanhas, árvores, telhados, ou qualquer outra coisa escalável.

Apesar de não ter muita compatibilidade com esse signo – que é frio, noturno, feminino, e que só lhe oferece dignidade entre 20º e 30º – o Sol deverá adaptar sua natureza às solicitações do papel a ser representado em Capricórnio.
A coragem e o arrojo solar, balizados pelo planejamento e controle, surgem como foco e estratégia, satisfazendo a necessidade de segurança capricorniana numa ascensão lenta, mas contínua. Há sobriedade e reserva na expressão da vontade de alcançar o topo.
Parafraseando o título do filme de Buñuel, é o discreto charme da burguesia.

*Sobre à misteriosa figura com corpo de cabra e cauda de peixe, uma das referências é o deus Pã – na Titanomaquia, guerra na qual lutou ao lado de Zeus, ele e outros deuses entram em um rio para escapar de Tífon, gigante com cem cabeças de dragão, e como forma de disfarce, cada um deles se transforma em um animal, e Pã transformou a parte do corpo mergulhada na água em peixe e a outra parte em cabra. Alguns mitólogos citam Dionísio, e não Pã, quando relatam esse mito. Entre outras possíveis referências à cabra-peixe vale citar as divindades dos panteões babilônico e egípcio.